ESPAÇO LUZ. Rua S-6, quadra S-27, lote 06, n. 300. Setor Bela Vis

(62) 3255-8177

Farmacologia Sistema Endócrino
Dr Luciano Augusto de Jesus

Fármacos e o sistema endócrino

 

Introdução

  • O sistema endócrino regula as funções orgânicas;
  • em associação ao sistema nervoso autônomo, controla o “meio interno”;
  • hormônios são substâncias químicas, produzidas por glândulas endócrinas, liberadas na corrente sanguínea para atuar em órgãos-alvo à distância;
  • os órgãos endócrinos correspondem ao hipotálamo, hipófise, paratireoides, tireoides, suprarrenais, pâncreas, e gônadas (testículos e ovários;
  • o aumento do hormônio na corrente sanguínea determina a diminuição de sua secreção e vice-versa.


Hipófise

 

  • Divide-se em adeno-hipófise e neuro-hipófise;
  • a adeno-hipófise está relacionada ao hormônio do crescimento, adrenocorticotrofina, tireotrofina, hormônio folículo-estimulante, luteinizante e prolactina;
  • o hormônio do crescimento determina ganho de estatura e massa muscular;
  • adrenocorticotrofina aumenta a síntese e secreção de glicocorticoides, mineralocorticoides e androgênios adrenocorticais e tem ação melanócitoestimulante;
  • a tireotrofina aumenta o tamanho e vascularização da tireoide e estimula a secreção de T3 e T4;
  • o hormônio folículo-estimulante favorece o crescimento folicular ovariano e testicular e aumenta as concentrações testiculares de testosterona.
  • o hormônio luteinizante estimula a ovulação;
  • a prolactina estimula a produção de leite e participa do equilíbrio hidrossalino;
  • a neuro-hipófise relaciona-se à ocitocina e à vasopressina;
  • a ocitocina estimula contrações uterinas;
  • a vasopressina faz vasoconstrição, aumenta a pressão arterial, aumenta o tônus arteriolar e a resistência vascular periférica, aumenta a reabsorção renal de água e reduz a diurese (hormônio antidiurético);
  • a felipressina, usada como vasoconstritor associado ao anestésico local, é derivada da vasopressina. Diferente do hormônio é desprovida de ação antidiurética;
  • não apresenta, em doses convencionais, alterações cardiocirculatórias

 

 

Tireoide

 

  • Os hormônios da tireoide são a triiodotironina (T3), a tiroxina (T4) e a calcitonina;
  • a Triiodotironina e a tiroxina são responsáveis pelo crescimento, desenvolvimento e metabolismo celular;
  • a calcitonina diminui os níveis séricos de cálcio, reduzindo a reabsorção do osso ao inibir a atividade dos osteoclastos;
  • pacientes hipotireóideos, que fazem reposição hormonal,podem apresentar perda de osso alveolar e mobilidade dentária. Esses pacientes toleram menos os analgésicos opioides;
  • pacientes com hipertireoidismo, que recebem fármacos antitireóideos, como o propiltiouracil, podem queixar-se de parotidites e úlceras bucais e apresentarem quadros de agranulocitose;
  • nos pacientes com hipertireoidismo não controlado a adrenalina é formalmente contraindicada com o risco de surgimento de crise tireotóxica, caracterizada como febre, taquicardia, disfunções gastrointestinais, como náuseas e vômitos, confusão, hipotensão e choque;

 

Paratireoides

 

  • São quatro pequenas glândulas embutidas na tireoide. Essas glândulas produzem o paratormônio (PTH), que junto com a calcitonina, mantêm os níveis normais de cálcio;
  • quando cai o nível sérico, ocorre mobilização de cálcio de diferentes regiões do corpo, graças à ação desse hormônio. O PTH aumenta os níveis de cálcio, elevando a síntese de calcitriol, fazendo a mobilização óssea e reduzindo a excreção renal de cálcio;
  • PTH e calcitriol fazem recrutamento de osteoclastos;
  • no hiperparatireoidismo ocorre desmineralização do processo alveolar e inflamação gengival;
  • no hipoparatireoidismo podem ocorrer defeitos no esmalte e candidíase bucal crônica.


Pâncreas

 

  • O pâncreas produz insulina e glucagon;
  • a insulina e o glucagon têm ações antagônicas no metabolismo da glicose. A insulina armazena e o glucagon mobiliza a glicose;
  • pacientes com diabete melito exigem um manejo especial no atendimento odontológico: consultas rápidas e pela manhã, diminuição do estresse, controle da dieta e insulina, sendo que na manhã da cirurgia é prudente tomar um café reforçado e reduzir a dose de insulina, para prevenir hipoglicemia;
  • esse planejamento pode ser feito junto ao endocrinologista;
  • a prevenção de infecções é outro fator importante.


Hormônios gonadais

 

  • São a progesterona, o estrogênio e a testosterona;
  • pacientes que recebem contraceptivos orais podem engravidar com o uso concomitante de antibióticos de largo espectro;
  • o estrogênio do anticoncepcional faz circulação êntero-hepática e os antibióticos, por reduzirem a flora intestinal e interferirem em enzimas hepáticas, podem reduzir a absorção do estrogênio, mantendo níveis sanguíneos inadequados para impedir a ovulação.


Suprarrenal

 

  • Divide-se em córtex e medula;
  • o córtex produz os glicocorticoides, mineralocorticoides e hormônios sexuais;
  • a medula produz adrenalina e noradrenalina;
  • os corticosteroides são fármacos que imitam os hormônios do córtex adrenal;
  • alguns podem apresentar efeitos mineralocorticoides e determinar retenção de água e sal;
  • são importantes como fármacos  anti-inflamatórios e antialérgicos;
  • sua terapia crônica exige suplementação no pré-cirúrgico, com o intuito de prevenir insuficiência adrenal aguda, caracterizada por fraqueza, náuseas, vômitos, tontura, desconforto abdominal, queda de pressão arterial e desidratação.